Os moradores do município de Andorinha já podem contar com mais um manancial para abastecimento humano graças a uma obra estruturante e de enfrentamento à seca da Embasa e do Governo do Estado, concluída no mês passado. A obra vai permitir levar água da Barragem Andorinha II ao município e contou com o investimento de mais de R$ 1 Milhão.

O empreendimento contempla a implantação de captação flutuante, um conjunto motor bomba e uma subestação de energia elétrica; a reativação de uma estação de tratamento da água, que inclui recuperação de dois filtros de concreto armado e instalação de um filtro de aço, além da reativação de duas estações elevatórias de água, construção de um reservatório para reaproveitamento da água de lavagem dos filtros e adutoras para entroncamento na tubulação já existente.

De acordo com o gerente regional da Embasa, Vinícius Araújo, a obra é de fundamental importância para garantir o fornecimento de água no município, que atualmente vive em regime de racionamento devido ao baixo volume da Barragem de Ponto Novo (atualmente com 42% da sua capacidade). “Estamos ainda em estado de alerta e com previsão incerta de chuvas suficientes para reposição de água deste manancial, por isso precisamos adotar medidas que ofereçam segurança para atender à população por um tempo maior possível e que traga equilíbrio entre oferta e demanda do recurso hídrico disponível”, ressaltou Vinícius. A previsão é de colocar em operação a nova estrutura montada já neste semestre.

Qualidade da água

A água do Açude de Andorinha II contém 44 mg de cloreto por litro (Cl/L), de acordo com estudos realizados pelo Laboratório de Análise Físico - química e Bacteriológica da Embasa. Segundo o biólogo e supervisor de Tratamento de Água da empresa, José Augusto, este teor é considerado baixo, levando em conta o limite máximo estabelecido pelo Ministério da Saúde (250 mg).