Yahoo Finanças, foto Fátima Meira/Futura Press 

Aposentado desde 1999 com o cargo de procurador do estado de São Paulo, o presidente Michel Temer teve sua aposentadoria suspensa nos meses de novembro e dezembro do ano passado. De acordo com o jornal O Globo, Temer ficou sem a aposentadoria porque não compareceu ao recadastramento anual obrigatório, conhecido como “prova de vida”. O procedimento, que deve ser realizado por quem recebe o benefício todos os anos, no mês de seu aniversário, serve para comprovar que a pessoa está viva.

A entidade responsável pela administração e pagamento dos benefícios do governo do estado, a São Paulo Previdência, a SPPrev, explica que o benefício é suspenso automaticamente quando o cidadão não aparece para o recadastramento, que pode ser realizado em qualquer agência do Banco do Brasil em todo o Brasil, ou em uma das unidades de atendimento da SPPrev.

Em comunicado, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência informou que o problema aconteceu “por falta de tempo” do presidente, que o fará “assim que possível”.

Aposentadoria

Michel Temer se aposentou aos 58 anos e, de acordo com dados do governo de São Paulo, recebeu, em outubro, último mês em que teve acesso ao dinheiro, cerca de R$ 45 mil de aposentadoria. O valor, no entanto, foi abatido do teto previsto para o cargo, chegando a R$ 22,1 mil. O valor recebe a adição de mais R$ 2,7 mil, correspondente ao salário de presidente da república, já abatido do teto.