Aeronave em que estava Teori é retirada do mar de Paraty - Fábio Motta / Agência O Globo
 

Apesar de a caixa-preta do avião que levava o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki e outras quatro pessoaspelo contato com água do mar, a Força Aéra Brasileira extraiu todo o conteúdo do gravador de voz da aeronave, de acordo com informações do “Jornal Nacional”, da TV Globo. A caixa-preta está em Brasília desde o último sábado. A partir de agora, a gravação, que registra os últimos 30 minutos do voo e está totalmente preservada, passará por tratamento para retirada dos ruídos. Após essa etapa, será analisada por peritos.

Mais cedo, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), ligado à Aeronáutica, havia informado que, embora tenha sido dectado dano, a parte da caixa-preta que contém o gravador de voz é "altamente protegida".
O avião que transportava o minstro do Supremo caiu em Paraty, no Sul-Fluminense, na última quinta-feira. Além do ministro do STF, morreram no acidente o empresário Carlos Alberto Filgueiras, dono do Hotel Emiliano, o piloto Osmar Rodrigues, a massoterapeuta Maira Lidiane Panas Helatczuk, de 23 anos, e a mãe dela, Maria Ilda Panas, de 55 anos.

Os destroços do avião foram retirados no mar na noite de domingo e chegaram na noite desta segunda-feira ao porto de Angra dos Reis, segundo o "G1". Eles foram transportados em uma balsa por 50 km desde o local da queda do avião, e serão levados em uma carreta para o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Aeroporto Galeão) no Rio de Janeiro, onde vão passar por uma perícia, feita pela Aeronáutica.

Nesta segunda-feira juiz da 1ª Vara Federal de Angra dos Reis, Raffaele Felice Pirro, decretou o sigilo das investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal sobre a queda do avião. Nesta terça-feira, o MPF e a PF vão ouvir testemunhas do acidente. Parte dos investigadores que atua no caso do acidente em Paraty trabalhou nas apurações sobre a morte do ex-governador Eduardo Campos em um acidente aéreo em Santos (SP) em plena campanha presidencial de 2014. Na equipe da Polícia Federal que foi deslocada pelo caso há integrantes que atuaram no episódio de 2014, mas a composição não é exatamente a mesma.