O governo federal, através do Ministério do Trabalho, lançou uma plataforma digital que possui mais de vinte cursos online gratuitos. No site, denominado 'Escola do Trabalhador, as aulas compreendem doze áreas diferentes, como línguas, computação, gestão e negócios e turismo.

Cursos como "“Edição e tratamento de imagens”, “Inglês aplicado ao trabalho”, “Introdução ao Excel” e “Criando um negócio de sucesso” são algumas das opções disponíveis para os usuários.

Para se inscrever, basta realizar um cadastro no portal http://escola.trabalho.gov.br/ e informar nome completo, CPF e e-mail. Depois, o usuário precisa aguardar a validação no sistema que irá gerar uma senha provisória e, em seguida, deve completar o cadastro com o restante dos dados necessários.

 

Circula na internet e em grupos de conversas uma mensagem atribuindo à Justiça Eleitoral a aplicação de multa de R$ 150,00 ao eleitor que não fizer o cadastramento biométrico, bem como o cancelamento de documentos. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) esclarece que esta mensagem é falsa e que o eleitor deve ficar atento ao calendário estabelecido pelos respectivos Tribunais Regionais Eleitorais (TRE) para fazer o cadastramento dos eleitores em cada estado.

Segundo a mensagem divulgada na internet, o prazo seria até o dia 7 de dezembro para evitar cancelamentos de documentos como CPF e carteira de motorista.

A legislação eleitoral não prevê, em nenhum momento, o cancelamento de outros documentos a não ser o título de eleitor no caso de o eleitor ficar três eleições consecutivas sem votar ou justificar ou não comparecer ao cadastramento biométrico obrigatório, que serve como uma atualização do cadastro de eleitores.

Ainda assim, caso o eleitor não compareça, ele apenas estará sujeito a uma multa em torno de R$ 3,50. Após comparecer ao cartório eleitoral mais próximo e regularizar a situação, o título volta a ficar ativo imediatamente.

A biometria é um método tecnológico que permite reconhecer, verificar e identificar uma pessoa por meio de suas impressões digitais, que são únicas. A tecnologia foi implementada na Justiça Eleitoral com o objetivo de prevenir fraudes e tornar as eleições brasileiras ainda mais seguras, uma vez que a identificação biométrica torna inviável que um eleitor tente se passar por outro no momento da votação.

O cadastramento biométrico na Justiça Eleitoral, que está sendo realizado gradativamente em todo país, é regulamentado pela Resolução TSE nº 23.440/2015.

 

por Bernardo Mello Franco e Daniel Carvalho/ foto Charles Sholl/Futura Press

Totalmente" decepcionado com a política, um dos deputados mais presentes em plenário, Tiririca (PR-SP) disse nesta quarta-feira (25) que não vai disputar a reeleição em 2018, depois de dois mandatos na Câmara. "Não volto", disse à reportagem o deputado, ator e palhaço.

"Precisava do segundo mandato para mostrar que não foi só voto de protesto", afirmou Tiririca, que irá se dedicar integralmente à vida de ator.

"Esperava chegar aqui e aprovar projetos, mas a mecânica daqui é complicada", disse ele, que nega pretensão de escrever livro para contar o que viu nos bastidores do Congresso.

Ele, que nunca fez um discurso no plenário, disse que, até o final do mandato, falará se "despedindo da galera".

"Isso aqui é coisa séria, apesar de ter uns que fazem palhaçada."

Na eleição de 2018, afirmou que apoiará o ex-presidente Lula "se não aparecer nada" contra ele. "Pro povo ele foi fera e eu sou povo", justificou o deputado.

 

Por Fernanda Calgaro, Alessandra Modzeleski e Bernardo Caram, G1, Brasília/ foto Agência Brasil

Após 12 horas e 20 minutos de sessão, a Câmara dos Deputados rejeitou nesta quarta-feira (25), por 251 votos a 233 (com duas abstenções e 25 ausentes), enviar ao Supremo Tribunal Federal (STF) a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, apresentada pela Procuradoria Geral da República (PGR).

Temer foi denunciado pelos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça. A denúncia rejeitada pela Câmara também inclui os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria Geral), acusados de organização criminosa.

Esta é a segunda vez que os deputados livram o presidente de ser processado. A primeira denúncia, por corrupção passiva, foi votada em agosto e rejeitada, por 263 votos a 227.

Com a decisão, os deputados livraram Temer de responder ao processo no Supremo Tribunal Federal (STF) durante o mandato. Caso fosse instalado, o processo provocaria o afastamento do presidente por até 180 dias.

Agora, Temer responderá na Justiça somente após a conclusão do mandato, em 31 de dezembro de 2018.

Lance! 

Os onze melhores jogadores do mundo foram eleitos para a Seleção do Mundo da Fifa. Durante a festa The Best da Fifa, os nomes foram divulgados e três brasileiros estão entre os premiados: Neymar, Daniel Alves e Marcelo.

Confira os onze selecionados abaixo:Buffon (Juventus); Daniel Alves (PSG), Sergio Ramos (Real Madrid), Bonucci (Milan) e Marcelo (Real Madrid); Toni Kroos (Real Madrid), Iniesta (Barcelona) e Luka Modric (Real Madrid); Lionel Messi (Barcelona), Cristiano Ronaldo (Real Madrid) e Neymar (PSG).

 

Saiu nesta sexta-feira (20) novo edital do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, para 1.152 vagas temporárias de recenseador. O cargo é destinado a quem possui o nível fundamental. Os ganhos variam de acordo com a produtividade, podendo chegar a R$3 mil mensais. Os contratos terão duração de até cinco meses e a carga de trabalho será de pelo menos 25 horas semanais.

As vagas do processo seletivo simplificado, segundo o IBGE, são para localidades que tiveram número de inscritos inferior à oferta de vagas no concurso encerrado ou com o cadastro de reserva esgotado. O quadro de vagas foi liberado na manhã desta sexta, 20. As oportunidades estão distribuídas pelos estados da Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

As inscrições serão abertas na próxima segunda, 23, sendo aceitas até 6 de novembro. Para se inscrever, o candidato deverá comparecer aos postos de inscrição do IBGE, conforme lista que ainda será divulgada no site clique aqui.

STJ decidiu, por unanimidade, soltar Carlos Arthur Nuzman (AP)/ Yahoo Esportes

A Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça decidiu, por unanimidade, soltar Carlos Arthur Nuzman, 76 anos, ex-presidente do Comitê Olímpico Brasileiro. A informação é do colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.
Ele deve cumprir medidas cautelares, como entregar seu passaporte e está proibido de manter contato com os demais investigados

Nuzman está preso desde o dia 5, no Rio, sob suspeita de ter feito a “ponte” entre o esquema de corrupção do governo Sérgio Cabral (PMDB) e os membros do COI na escolha do Rio, em 2009, para receber os Jogos.

A decisão foi tomada pelos ministros Maria Thereza de Assis Moura, Sebastião Reis, Rogerio Schietti e Nefi Cordeiro. Eles entenderam que a prisão de Nuzman era medida desproporcional em relação às imputações da denúncia. O ministro Antonio Saldanha não participou do julgamento.

Nesta quarta (18), o MPF (Ministério Público Federal) no Rio denunciou Nuzman, o ex-diretor da Rio-16 Leonardo Gryner e o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) pelo caso da suposta propina paga pela eleição do Rio como sede da Olimpíada de 2016. Eles são acusados de organização criminosa, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Além do grupo, também foram denunciados o empresário Arthur César de Menezes Soares e os senegaleses Lamine Diack, membro do COI (Comitê Olímpico Internacional) supostamente subornado, e seu filho Papa Massata Diack.

 

Yahoo Notícias/ foto: Fátima Meira/Futura Press

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara aprovou nesta quarta-feira, 18, por 39 votos a 26, o parecer do deputado Bonifácio de Andrada, que rejeita a segunda denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco. Houve apenas uma abstenção.

Na prática, a decisão é o primeiro passo da tramitação da denúncia, mas cabe ao plenário da Câmara a votação decisiva sobre o prosseguimento da denúncia para o Supremo Tribunal Federal. Para que isso aconteça, é preciso ter pelo menos 342 votos favoráveis de um total de 513 deputados. Caso seja rejeitada a denúncia, Temer poderá ser processado apenas quando seu mandato acabar.

A denúncia

Michel Temer e seus ministros são acusados de integrar organização criminosa e receberem pelo menos R$ 587 milhões em propinas. Temer também é acusado de obstrução da Justiça, por supostamente ter dado aval para que a JBS comprasse o silêncio de Eduardo Cunha e de Lúcio Funaro.

 

por Luiza Leão, Merto 1/ Foto: Marcello Casal/Agencia Brasil

A prefeita e a vice-prefeita de Mamanguape, município da Paraíba, tiveram os mandatos cassados por compra de votos. Maria Eunice do Nascimento Pessoa (PSB) e a vice Baby Helenita Veloso Silva (PRTB) teriam oferecido supostos empregos, dinheiro, combustível e até cachaça aos eleitores. Além disso, as duas são investigadas por abuso de poder econômico durante as eleições municipais de 2016.

A decisão de suspender os mandatos foi proferida nesta terça-feira (17) pela juíza Juliana Duarte Maroja, da 7ª Zona Eleitoral, em Mamanguape, Litoral Norte paraibano. Os advogados tentam recorrer da decisão, que ainda cabe recurso.

A prefeita e vice da cidade paraibana também foram declaradas inelegíveis por oito anos. As multas chegam a R$ 53.205, “considerando a condição econômica de cada uma”, a “gravidade das condutas” e “as temerárias consequências para o regime democrático”.

Placar foi de 44 votos pró-Aécio e 26 contra. Senador acusado de receber propina de empresário – ele nega – necessitava de pelo menos 41 votos para retomar o mandato. Por Fernanda Calgaro e Alessandra Modzeleski, G1, Brasília

O Senado derrubou nesta terça-feira (17), por 44 votos a 26, a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) que havia determinado o afastamento de Aécio Neves (PSDB-MG) do mandato. Com isso, Aécio poderá retomar as atividades parlamentares.

Com base nas delações de executivos do grupo J&F, que controla a JBS, Aécio foi denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR) pelos crimes de obstrução de Justiça e organização criminosa.

Segundo a PGR, o tucano pediu e recebeu R$ 2 milhões da JBS como propina. A procuradoria afirma também que Aécio atuou em conjunto com o presidente Michel Temer para impedir o andamento da Lava Jato.

Desde o início das investigações, Aécio tem negado as acusações, afirmando ser "vítima de armação".

A sessão do Senado
A sessão para decidir sobre o afastamento de Aécio começou por volta das 17h e, ao todo, a discussão sobre o assunto durou cerca de três horas.

PMDB, PSDB, PP, PR, PRB, PROS e PTC orientaram os senadores das respectivas bancadas a votar "não", ou seja, contra o afastamento.

PT, PSB, Pode, PDT, PSC e Rede orientaram voto a favor da decisão da Turma do Supremo.

DEM e PSD liberaram os senadores a votar como quisessem.

Mascote da Copa do Mundo da Rússia 2018 foi apresentado: Zabivaka 

reportagem Raphael Costa/ Agência do Rádio

A Fifa divulgou informações sobre a Copa da Rússia 2018 nesta segunda (18). As primeiras informações foram com relação aos cabeças de chave da competição. Alemanha, Brasil, Portugal, Argentina, Bélgica, Polônia, França e a Rússia, sede da Copa, estarão no mesmo pote durante o sorteio dos grupos que acontece dia primeiro de outubro. Isso significa que na primeira fase essas seleções não vão se enfrentar. As seleções foram escolhidas devido suas atuais posições no ranking da Fifa e a classificação para o mundial.

A Alemanha é a atual líder. O Brasil está na segunda posição.

A A confederação também divulgou o nome e a figura do mascote da Copa. Trata-se do lobo Zabivaka. A palavra que dá nome ao mascote vem do russo e significa “aquele que marca o gol”.

A programação da competição também foi divulgada.

A abertura e a primeira partida serão no dia 14 de junho no estádio de Moscou. A final também vai acontecer na capital russa, no dia 15 de julho.

Fotos: Dida Sampaio/Estadão, Rodolfo Buhrer/Reuters e Fábio Motta/ Agência Estado 

O Tribunal de Contas da União (TCU) bloqueou nesta quarta-feira (11) os bens da ex-presidente Dilma Rousseff, por conta de sua atuação na aquisição da refinaria de Pasadena, no Texas, pela Petrobras. O bloqueio, que tem validade de um ano, foi aprovado pelo plenário da corte. O bloqueio de bens também atinge os ex-membros do conselho Antonio Palocci, José Sergio Gabrielli, Claudio Luis da Silva Haddad, Fabio Colletti Barbosa e Gleuber Vieira. Ainda cabe recurso da decisão do tribunal.

Em 2006, a diretoria da Petrobras autorizou a aquisição da refinaria americana. Segundo o tribunal, a compra de Pasadena acarretou em prejuízo de US$ 580 milhões à estatal, “em razão desses gestores terem adotado critérios antieconômicos para definir o preço da refinaria”. Naquele ano, quando votou favoravelmente à compra de 50% da refinaria de Pasadena, Dilma era ministra da Casa Civil e comandava o Conselho de Administração da Petrobras.

 por Jade Coelho/ Bahia Notícias foto: Reprodução/ G1

Dilma Rousseff e Rodrigo Janot lideram a corrida para senado pelo estado de Minas Gerais, de acordo com levantamento do Instituto Paraná Pesquisas. Ao todo 1507 eleitores participaram da pesquisa, que aconteceu presencialmente, entre os dias 30 de setembro e 05 de outubro, em 70 municípios do estado mineiro. Nove opções estavam disponíveis para responder a questão: "Se as eleições para senador do estado de Minas Gerais fossem hoje e os candidatos agora fossem esses, em quem o Sr. (a) votaria?". As pessoas puderam optar por Dilma Rousseff (que recebeu 16,9% dos votos), Rodrigo Janot (15,2%), Josué Alencar (15,1%), Aécio Neves (13,7%), Mauro Tramonte (13,3%), Márcio Lacerda (13,1%) e Carlos Viana (11,9%). Além desses nomes, foi possível votar "Não sabe" (5,8% dos votos) e "Nenhum" (20,7%).

 

Dados da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) revelam que, até está segunda-feira (9), 25.031 títulos eleitorais estão envolvidos em casos de coincidência biométrica no Brasil. As informações foram obtidas a partir da comparação das digitais dos quase 65 milhões de eleitores já cadastrados biometricamente no país.

Tais ocorrências foram identificadas pelo Sistema AFIS (sigla em inglês do Sistema Automático de Identificação de Impressões Digitais), tecnologia que permite fazer o batimento eletrônico das dez impressões digitais de cada eleitor cadastrado com as digitais do total de eleitores registrados no banco de dados da Justiça Eleitoral.

Utilizado pela Justiça Eleitoral desde 2014, o Sistema AFIS consegue comparar as impressões digitais relacionadas a 120 mil títulos eleitorais por dia. Como resultado da análise biométrica, o TSE aponta casos de duplicidade (quando uma mesma pessoa tem dois registros eleitorais) e de pluralidade (quando um eleitor dispõe de três títulos ou mais).

De acordo com a última atualização da STI/TSE, o estado de Alagoas é o que apresenta mais coincidências biométricas: 3.028, sendo 2.957 duplicidades e 75 pluralidades. Em seguida vêm os estados de São Paulo, com 2.793 coincidências (2.615 duplicidades e 185 pluralidades), e de Goiás, com 2.144 ocorrências (1.631 duplicidades e 523 pluralidades).

No entanto, o estado de Goiás desponta como o que apresenta o maior número de pluralidades de títulos de eleitor, dentre as quais foi identificada uma única pessoa com 52 registros eleitorais diferentes. Outros dois cidadãos do estado foram detectados com 47 e 32 títulos diferentes, respectivamente. Já a unidade da Federação com menos coincidências biométricas é o Mato Grosso do Sul, com apenas 60 casos de duplicidade e nenhum de pluralidade.
Tipos de ocorrência

O Sistema AFIS aponta quatro tipos de ocorrência de coincidências biométricas. A primeira dela é a chamada “falsa identidade”, que ocorre quando uma mesma pessoa se registra junto à Justiça Eleitoral com documentos falsos (CPF, RG etc.), sendo incluída no Cadastro Nacional de Eleitores com nomes e filiações diferentes. Nesses casos, a confirmação de que se trata da mesma pessoa é feita pela observação das fotografias constantes dos documentos.

O segundo tipo de ocorrência é o “duplo cadastramento”. Essa situação ocorre quando um cidadão solicita a transferência do título eleitoral para outro domicílio, sendo, porém, cadastrado novamente pela Justiça Eleitoral em vez de ter sua inscrição transferida. A partir da observação das fotos, é possível constatar tratar-se da mesma pessoa com os mesmos dados biográficos (ou com pequenas diferenças nos dados biográficos).

O chamado “falso positivo” é outro tipo de ocorrência de coincidência biométrica identificado pelo Sistema AFIS. Ele ocorre quando o sistema aponta duas pessoas distintas em uma coincidência das impressões digitais de apenas um ou dois dedos. Como o sistema é programado para ter um nível de tolerância extremamente baixo, mesmo que apenas uma dentre as dez digitais de uma pessoa coincida com a de outro eleitor, o AFIS emite um alerta para que o juiz eleitoral analise o caso.

Último caso de coincidência, o “erro de cadastramento” ocorre quando duas pessoas notadamente distintas apresentam grande número de digitais em coincidência. Trata-se de caso no qual algum erro operacional durante o processo de cadastramento ou de registro dos dados biométricos fez com que as digitais de um eleitor fossem gravadas em banco de dados como se fossem de outra pessoa. Dessa forma, dois registros de eleitores distintos compartilham as mesmas impressões digitais.

Todas as ocorrências são remetidas ao juiz eleitoral da jurisdição na qual o eleitor é cadastrado, para que seja feita a análise das coincidências. Dependendo de cada caso, o juiz pode determinar o cancelamento de uma ou de todas as inscrições eleitorais, marcar a ocorrência como falso positivo e, no caso de identificação de fraude, solicitar a abertura de processo criminal.

Bahia Notícias/ foto: Fernanda Rouvenat / G1 

O presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, além do diretor de marketing do Comitê Rio 2016, Leonardo Gryner, foram presos na manhã desta quinta-feira (5) na Zona Sul do Rio por agentes da Polícia Federal. A ação é um desdobramento da operação Unfair Play, uma expressão que faz referência a jogo sujo no esporte – esta, por sua vez, é mais uma etapa da Lava Jato no Rio de Janeiro. Nuzman é suspeito de intermediar a compra de votos de integrantes do Comitê Olimpíco Internacional (COI) para a eleição do Rio como sede dos Jogos Olímpicos de 2016. 

 

Laura Lorenzo, Metro 1

Logo após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator do caso, Edson Fachin, votar, um pedido de vista do ministro Marco Aurélio Mello adiou a decisão final sobre a prisão do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), que seria tomada nesta terça-feira (26), pela Primeira Turma da Corte. Maluf foi condenado pelo próprio colegiado, em maio, a mais de sete anos de reclusão pelo crime de lavagem de dinheiro.

Após a publicação do acórdão com a condenação, a defesa do deputado entrou com embargos de declaração para tentar reverter a decisão pela prisão do deputado. Os advogados de Maluf juntaram novos documentos, obtidos junto a autoridades da Ilha Jersey, segundo os quais o parlamentar não teria como movimentar as contas onde estavam os valores pelos quais ele foi condenado, o que derruba as provas da acusação.

Fachin, contudo, votou a favor de desconsiderar os documentos, argumentando que ao longo de oito anos de instrução processual o condenado teve a oportunidade de produzir provas de sua inocência, o que não fez. Segundo ele, além dos embargos de declaração não se prestarem à apresentação de fatos novos, aceitar as evidências recém-produzidas pela defesa implicaria em reabrir a fase de instrução após a condenação do acusado, o que não seria permitido de acordo com os precedentes do STF.

Matheus Simoni, Metro 1/ foto: Dida Sampaio/ Estadão

Após negarem a prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG), os ministros da 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram afastar o parlamentar do mandato nesta terça-feira (26), em resposta ao pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). Por 5 votos a 0, os ministros rejeitaram a prisão, mas determinaram o afastamento 3 votos a 2.

Em relação ao pedido de afastamento do mandato, votaram contra Marco Aurélio Mello e Alexandre de Moraes. Barroso, Rosa Weber e Fux votaram pelo afastamento. Já pela prisão, todos os cinco foram contrários. Em maio, um primeiro pedido de prisão foi negado pelo relator da Operação Lava Jato no STF, Edson Fachin.

Os pedidos da PGR, protocolados por Rodrigo Janot enquanto ele chefiava o Ministério Público Federal (MPF), são baseados na delação de executivos da J&F. O órgão sustenta que o senador, acusado de corrupção passiva e obstrução de Justiça, teria recebido dinheiro da empresa e que atuou em conjunto com o presidente Michel Temer para impedir as investigações da Lava Jato. O STF decidiu que Aécio fique em recolhimento domiciliar noturno, em detrimento do voto do ministro Roberto Barroso, e seja proibido de deixar o país.

 

O Partido Ecológico Nacional (PEN) entrou com pedido de alteração de nome e sigla, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), para Patriota (Patri). O pedido será encaminhado à Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE) para parecer e, após análise do relator, será apreciado pelo Plenário.

Em 19 de junho de 2012, o TSE deferiu, por maioria, o registro do PEN. Seu código eleitoral é o 51. De acordo com o artigo 7º da Lei dos Partidos Políticos (Lei nº 9.096/1995), após adquirir personalidade jurídica, o partido político deve registrar seu estatuto no Tribunal Superior Eleitoral. O pedido foi juntado ao Registro de Partido Político (RPP) 1535.

foto: AP/Eraldo Peres/Arquivo, reportagem: Yahoo Notícias 

O ex-ministro Antonio Palocci entregou nesta terça-feira, 26, uma carta de desfiliação do Partido dos Trabalhadores em um documento de quatro páginas endereçada à presidente do partido, Gleisi Hoffmann.

Na última semana, o PT decidiu afastar por 60 dias o político, até que o diretório de Ribeirão Preto, cidade de origem de filiação de Palocci seguisse com o processo de desfiliação. “Ele mentiu contra o partido, contra a liderança de Lula, comprometendo Lula”, afirmou Hoffman, durante a votação de afastamento, realizada na última sexta-feira.

No documento, Antonio Palocci se dispõe a prestar esclarecimentos ao partido, mas ressalta que só o fará quando a investigação do Ministério Público for encerrada. “De qualquer forma, quero adiantar que, sobre as informações prestadas em 06/09/2017, são fatos absolutamente verdadeiros. São situações que presenciei, acompanhei ou coordenei, normalmente junto ou a pedido do ex-presidente Lula. Tenho certeza que, cedo ou tarde, o próprio Lula irá confirmar tudo isso”, declara.

Nas quatro páginas enviadas ao partido, o ex-ministro se diz “Bastante tranquilo” e ressalta que “Falar a verdade é sempre o melhor caminho”.

“Vocês sabem que procurei ajudar no projeto do PT e do presidente Lula em todos os momentos. Convivi com as dificuldades e os avanços. Sabia o quanto seria difícil passar por tantos desafios políticos sem qualquer desvio ético. Sei dos erros e ilegalidades que cometi e assumo minhas responsabilidades. Mas não posso deixar de destacar o choque de ter visto Lula sucumbir ao pior da política no melhor dos momentos de seu governo. […] dissociou-se definitivamente do menino retirante para navegar no terreno pantanoso do sucesso sem crítica, do ‘tudo pode’, do poder sem limites, onde a corrupção, os desvios, as disfunções que se acumulam são apenas detalhes, notas de rodapé no cenário entorpecido dos petrodólares que pagarão a tudo e a todos”.

O ex-ministro ainda fez duras críticas a Lula, questionando ao partido sobre a “divindade” do ex-prsidente. “Até quando vamos fingir acreditar na autoproclamação do “homem mais honesto do país” enquanto os presentes, os sítios, os apartamentos e até o prédio do Instituto (!!!) são atribuídos a Dona Marisa? Afinal, somos um partido sob a liderança de pessoas de carne e osso ou somos uma seita guiada por uma pretensa divindade?”, declarou.

Confira a carta na íntegra:

reportagem Isabel Fleck, Washington, Folha de São Paulo 

Pela primeira vez eleitores americanos poderão votar em um prefeito brasileiro. Em Framingham, que terá sua primeira eleição à Prefeitura nesta terça (26), após ganhar um status de cidade neste ano, a brasileira Priscila Sousa, 29, será um dos sete nomes presentes na cédula.

Sousa chegou aos EUA com sete anos, junto com a família. Só ganharia seu "green card" em 2004, aos 16 anos.

Depois disso cursou Ciência Política no Simmons College, em Boston, e percebeu que era a carreira política que queria trilhar.

Ela é candidata em uma das cidades com maior percentual de brasileiros nos Estados Unidos --cerca de 1.100 dos 43 mil eleitores vieram do Brasil. Seundo o censo de 2010, a cidade no Estado de Massachusetts tem 68 mil habitantes.

"Quero representar os brasileiros, mas não só. Quero fazer uma gestão que olhe para todos aqueles que não se sentem representados em Framingham hoje", disse Sousa à Folha, por telefone, enquanto percorria bairros do sul da cidade à véspera da votação.

Em 2012, a brasileira trabalhou na campanha de Barack Obama. Antes disso, assessorou uma deputada estadual. Registrada como democrata, ela não terá o partido designado na cédula, como nenhum de seus concorrentes.

"O ativismo através do cargo político nunca foi estranho pra mim", disse a brasileira, ao lembrar que a avó concorreu a vereadora em Ipatinga, Minas Gerais, quando ela era criança. "Quando cheguei nos EUA, me interessei pela história americana, e isso foi se desenvolvendo num interesse em saber como as coisas funcionavam."

Com a família, que teve por muitos anos uma empresa de limpeza, Sousa trabalhou de faxineira na cidade. "No dia em que formei, estava almoçando com minha família para comemorar e recebemos uma ligação de que uma funcionária faltaria ao trabalho. Segui, com a beca no carro, para fazer faxina em uma casa", disse ela.

No primeiro turno, que ocorre nesta terça, apenas dois serão selecionados para seguir na disputa. O segundo turno será em 7 de novembro.

Disputam com Sousa John Stefanini, que já serviu como ex-deputado estadual por cinco mandatos, a executiva do Museu da Ciência local Yvonne Spicer, o palestrante motivacional Josh Horrigan, o advogado Mark Tilden, o fuzileiro naval aposentado Ben Neves-Grigg e o ativista de direitos civis Dhruba Sen, de origem indiana.

Sousa diz não saber se a origem brasileira irá contribuir ou atrapalhar na hora da votação. "Vamos ver o tamanho da rejeição amanhã. De forma geral, Framingham é muito cabeça aberta", diz.

O fato de ser jovem e mulher, afirma, pode atrapalhar mais: "Você pode ser jovem e pode ser mulher, mas não pode ser jovem e mulher".

Ela, contudo, diz que pretende "abrir caminho" para a candidatura de outros brasileiros no futuro. "Esse também é um sentido que quero dar a esse momento."