A Bahia ultrapassou, nesta quinta-feira (21/9), a marca de 1,8 milhão de eleitores biometrizados apenas em 2017. Com isso, o estado passa a ocupar a segunda posição em número de pessoas recadastradas biometricamente no Brasil este ano, ficando atrás somente de São Paulo (2.259.434).

O número, exatamente 1.809.741 de eleitores biometrizados, representa 60,32% da meta de 3 milhões estabelecida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para 2017.

A Justiça Eleitoral baiana iniciou o recadastramento biométrico dos eleitores do estado em 2009. Desde então, 3.278.145 cidadãos já realizaram o procedimento. O número representa 30,99% dos 10.576.922 eleitores aptos na Bahia.

O desembargador José Edivaldo Rocha Rotondano, presidente do TRE-BA, comemorou os números, mas destacou que continuará a intensificar o trabalho de recadastramento biométrico em todo o estado. “Desde que assumi a presidência do TRE-BA, em 27 de março deste ano, me comprometi a cumprir a meta estabelecida pelo TSE. Desde então, foram mais de 1,5 milhão de eleitores biometrizados, mas ainda estamos longe do que pretendemos e continuaremos a intensificar os trabalhos para oferecer o melhor serviço ao cidadão”.
Interior

Assim como Salvador, diversos convênios foram assinados com as gestões municipais das cidades do interior do estado, o que tem ajudado o processo de recadastramento biométrico dos eleitores.

Nos últimos meses, o TRE-BA firmou parceria com os municípios de Antônio Cardoso, Aracatu, Apuarema, Banzaê, Barreiras, Brumado, Candiba, Cruz das Almas, Eunápolis, Feira de Santana, Guanambi, Heliópolis, Jacobina, Jequié, Juazeiro, Ibirapitanga, Ilhéus, Ipecaetá, Ipirá, Irecê, Itabuna, Itanagra, Lafaiete Coutinho, Mata de São João, Malhadas de Pedras, Manoel Vitorino, Mirangaba, Ourolândia, Pintadas, Presidente Dutra, Porto Seguro, Ribeira do Pombal, Santo Estevão, São Gabriel, Sapeaçu, Tucano, Ubatã e Vitória da Conquista.