reportagem Matheus Simoni, Metro 1/ Foto: Lúcio Bernardo Jr/Agência Camara//Reprodução

O "Relatório Conclusivo da Polícia Federal" sobre os R$ 51 milhões encontrados em malas e caixas de papelão num apartamento na região da Graça, em Salvador, vinculado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, aponta que o deputado federal e irmão do peemedebista, Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), tinha conhecimento do montante e da localização dos valores. As informações foram divulgadas pelo jornal O Globo. O relatório da PF menciona “a ciência e a participação do irmão de Geddel, o deputado federal Lúcio Quadros Vieira Lima".

Na última terça-feira (19), Lúcio reapareceu após a prisão do irmão e disse que Geddel só iria se manifestar sobre o caso nos autos. O parlamentar destacou ainda que sempre defendeu que "todo cidadão brasileiro, quando sofre uma acusação, deve ter o benefício da dúvida e o amplo direito de defesa". "E é isso que espero do Judiciário brasileiro: que dê a ele o amplo direito de defesa, que será manifestado nos autos", afirmou, em entrevista à colunista Andreia Sadi, do portal G1.