A piscicultura familiar e artesanal praticada por famílias da região do Submédio São Francisco baiano contou, neste ano, com o reforço de 217 mil alevinos fornecidos pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) de acordo com o balanço feito pela 2ª Superintendência Regional da Companhia, sediada em Bem Jesus da Lapa.

A ação de inclusão produtiva no semiárido da Bahia tem parceria com a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (Seagri) e visa oferecer alternativa de trabalho e renda às comunidades rurais que convivem com a seca prolongada. Foram beneficiadas, em 2016, 434 famílias de 47 comunidades nos municípios de Caetité, Guanambi, Ibotirama, Matinha, Paratinga, Riacho de Santana, Santa Maria da Vitória, Serra do Ramalho e Sítio do Mato.

Somente neste mês de dezembro foram fornecidos 50 mil alevinos, sendo 13 mil para comunidades rurais de Ibotirama e 37 mil para Riacho de Santana, Serra do Ramalho e Sítio do Mato. Os alevinos foram produzidos na estação da Bahia Pesca, vinculada à Seagri e situada no distrito de Porto Novo, município de Santana.

O cadastramento das associações beneficiadas, a avaliação dos locais e a logística, entre outras ações, ficam a cargo da equipe da Unidade de Desenvolvimento Territorial da Codevasf em Bom Jesus da Lapa.

“A ação fortalece nosso trabalho e melhora a produção de peixe aqui da região. É a terceira vez que a gente faz o repovoamento, e todas com o apoio da Codevasf. É sempre bem vindo, por ser mais uma possibilidade de geração de renda para nossos associados”, afirma Lucimar Almeida, presidente da Associação dos Produtores Rurais de Terra do Arroz e Adjacências, do município de Riacho de Santana, entidade que conta com cerca de 70 famílias associadas.